Friday, January 23, 2015

Férias no Brasil


Em dezembro fomos ao Brasil de férias. Terceira vez visitando a terrinha desde que nos mudamos para Europa. E desta vez com um super diferencial: nosso baby Dante. Primeira viagem de avião como uma família de três.

Aliás, a viagem com um bebê de 4 para cinco 5 meses foi até tranquila no geral. No primeiro voo, quando fomos de Lyon para Lisboa, o Dante sofreu um pouquinho, mas logo soubemos entender o que ele tinha e os próximos voos foram calmos. No voo longo a companhia aérea disponibilizou um bercinho para ele. Foi ótimo, pois ele pôde descansar melhor e dormiu bem. Nós, os pais, não descansamos tanto, pois pegar um voo com bebê pode até não ser um bicho de sete cabeças, mas é trabalhoso. 


A volta foi bem mais complicada, pois o Fábio voltou antes para Grenoble, então tive que voltar sozinha com o Dante. Tive que dar conta de um bebê, uma mala, uma mochila, a bolsa do Dante e o carrinho que se dividia em 2 partes. Não foi moleza. A começar pela ida ao aeroporto. Meus pais que sempre me levam a Confins não conseguiram folga justamente desta vez... Então este papel sobrou para minha grande amiga Ju e o marido dela, o Dani (obrigada de novo, seus lindos!).  Eu até encararia o ônibus que faz o traslado para o aeroporto, mas a Ju e meus pais achariam isto loucura demais. Esse pessoal super protetor... rs.

Tia Ju
Passar pelo controle de raio X foi divertido. Imaginem ter que tirar líquidos, eletrônicos, fazer passar as bolsas e os carrinhos, e com o Dante a tiracolo! Tive que contar com a ajuda dos funcionários do aeroporto e de alguns passageiros. Todos bastante solícitos quando viam que eu estava sozinha com um bebê. A viagem foi até tranquila, considerando que poderia ser um caos, rs. Acho que ter viajado muito na vida e enfrentado muitos aeroportos me deixou bem experiente, então pude prever várias situações e antecipar soluções para possíveis problemas. Antes do embarque falei com as pessoas que meu objetivo era chegar em Grenoble com o Dante e os documentos. Se ficasse qualquer coisa pelo caminho, se eu esquecesse um bolsa, ou perdesse algo, paciência. Cheguei com tudo. Viagem bem sucedida. :-D

E no Brasil foi pura babação em cima do nosso garoto. A única pessoa que conhecia o Dante era minha mãe que veio a Grenoble assim que ele nasceu. Todo o resto da família e nossos amigos queriam encontrá-lo. E assim foi. Quase tive que distribuir babador para a família.






Faltou ver muitos amigos, mas eu sabia que seria assim, a viagem foi rápida. Geralmente quando vou de férias ao Brasil, saio muito, vejo muitas pessoas, arrumo muitos programas, mas desta vez me controlei mais por causa do Dante. Era tudo  novo para ele, então não queria estressá-lo muito. Praticamente encontrei só os amigos que animavam ir até mim, ao meu bairro, pois não rolava ir para muito longe com o pequeno.









Como o Fábio tinha que voltar para Grenoble antes das festas de fim de ano, resolvemos fazer um Natal antecipado. A Dani, irmã dele que mora nos Estados Unidos, também estava de férias no Brasil, então foi o primeiro Natal em muitos anos em que toda a família estava reunida. Foi muito bacana!




 E a véspera de Natal mesmo foi com minha família. E não tem como não ser especial com os loucos da família Serapião. Ceia incrível e pessoas maravilhosas. E dia 25 ainda rolou um almoço delicioso na Vó Celeste, onde pude matar saudade da outra parte da família. Vocês estão percebendo o quanto eu comi neste fim de ano, né?






Passei uns dias em Itabira, no interior de Minas, com meus pais. Foi ótimo para descansar um pouco. O ritmo lá é outro. Como já disse Drummond - o maior itabirano de todos os tempos - no poema "Cidadezinha qualquer":

"Um homem vai devagar
Um cachorro vai devagar,
Um burro vai devagar,
Devagar... as janelas olham."

E eu fui do mesmo modo... devagar acompanhando o arranjo da cidade... Meu irmão e minha cunhada estavam de férias por lá também, então foi tudibão!
Itabira
Nesta viagem ao Brasil vi muito menos gente do que costumo ver quando vou de férias, mas mesmo assim foi muita gente. O dante conheceu em 20 dias mais pessoas do que ele tinha conhecido em 4 meses de vida. Rolou um estresse no começo. Ele dormiu mal, tinha o fuso, estranhou muito o calor, chorava mais que de hábito, mas se adaptou rápido. Mais rápido que eu, rs.

Voltei para Grenoble no dia 31 de dezembro a tempo de passar a virada de ano com o marido que havia preparado um jantar fantástico e separado uma Champagne deliciosa pra gente. Pois é, o ano começou bem. :-)

Feliz ano novo! Bonne année!