Thursday, April 28, 2016

Trabalho em Grenoble



Hoje vou falar de trabalho! Já escrevi sobre isto aqui, aqui e aqui. porque estou sempre num emprego diferente ou buscando alguma coisa para fazer e ganhar dinheiro nesta terrinha.

Não tinha postado no blog ainda, mas cheguei a trabalhar um tempinho numa escola como monitora infantil. Eu ficava com as crianças na hora do almoço delas na escola. Elas têm em torno duas horas entre as aulas da manhã e as da tarde. Meu trabalho era basicamente acompanha-las no almoço (não deixando a bagunça se instalar, verificando se estavam comendo, gerenciando o tempo, etc) e brincar com elas antes ou depois. Fazíamos algum esporte, jogos de mesa, pulávamos corda, entre outras atividades. E conversávamos muito! A maioria adorava falar e contar histórias das suas vidas. Foi uma experiência bem legal.

Agora estou de emprego novo. Yay! Há um mês comecei meu "intérim", que é tipo um contrato de "missão temporária". A empresa que me contratou gerencia o estoque de uma marca francesa de roupas e acessórios. Nesta época do ano chegam muitos produtos devido à mudança de estação, então, para dar conta do volume grande de trabalho, a empresa contrata pessoas para trabalhar uma temporada. Minhas atividades lá são bastante repetitivas, mas é ótimo estar trabalhando! É muito bom conhecer gente diferente, conversar assuntos com os quais não estou acostumada, e, claro, ganhar uma graninha! Estou trabalhando em tempo integral pela primeira vez depois do nascimento do Dante. Canseira, viu! :)

Já que estamos neste assunto, vou aproveitar este post para responder algumas perguntas que os leitores do blog sempre me mandam. Principalmente os que estão com planos de vir para Grenoble. Então, pode ser a sua dúvida que está vindo pra cá, né? E já vou esclarecendo que é a minha visão das coisas, são as minhas experiências. Outras pessoas daqui podem ver e viver outras situações, ok?

Sempre me perguntam da crise, se tá difícil conseguir emprego aqui. Eu acho super difícil responder a esta pergunta, pois depende muito da área e da pessoa. Se você for uma pessoa super especializada num assunto que bomba no mercado de trabalho, acho que vai ser mais tranquilo. Se você for de uma área em que a demanda é super baixa, você vai ter que suar mais pra conseguir. Eu me sinto super deslocada aqui, pois sou bibliotecária, mulher, imigrante... Nem consigo imaginar quando vou conseguir um emprego na minha área... Atualmente trabalho com duas francesas, uma psicóloga e uma química industrial, e ambas se sentem igualmente desestimuladas. Não dá para dizer se você que está vindo pra cá vai conseguir trabalhar na sua área, mas dá pra dizer que você tem muitas chances de conseguir trabalhar em algum lugar.

Posso dizer também que você vai ganhar um salário digno independente do que faça (estou falando de trabalho formal). Para conhecimento, o salário mínimo 2016 para uma jornada de 35 horas semanais é 1466,62 euros. E a hora vale 9,67 euros. Sempre que estou procurando emprego e não falam o salário, nem me preocupo, pois sei que o mínimo já é bom.

E o visto pra trabalhar? Precisa? Precisa. As empresas cobram. Claro que como em qualquer lugar do mundo, rola trabalho informal. Aqui você pode fazer uma faxina aqui, um serviço de babá ali, uma aula de violão acolá, etc. Mas se você quer trabalhar certinho e ter todos os direito trabalhistas, tem que ter visto com autorização para trabalhar. Por causa dos empregos que tive aqui, vez ou outra recebi seguro desemprego, o que não teria acontecido se eu tivesse trabalhado informalmente e não pagado os impostos.

Há trabalhos voluntários que não exigem visto. Já fui voluntária numa associação em Grenoble que fazia trabalhos criativos com idosos de asilos e ninguém me pediu visto. E tenho amigos que estavam aqui a turismo e fizeram voluntariado na Cruz Vermelha. Nestes casos de trabalhos sociais, a demanda por visto deve ser menor, mas imagino que se você for fazer um trabalho voluntário numa empresa, tipo estágio não remunerado, devem pedir visto.

Bom, taí um pouquinho do que vivi aqui e pode ajudar quem esteja vindo. Qualquer dúvida, coloquem nos comentários ou em qualquer rede social que eu respondo. ;)



4 comments:

  1. Adorei o post, obrigada Nicole!

    ReplyDelete
  2. Oi, Nicole!
    Topei com o seu blog ainda agora e... Puxa, você não tem ideia de como os seus posts me ajudaram a segurar a barra da ansiedade. Meu namorado está tentando conseguir uma bolsa para cursar o doutorado em Grenoble (onde ele já tem o aceite de um professor bacana da área de Computação) e pretendemos ir juntos no final de 2017 se tudo der certo. Eu sou psicóloga (trabalho com Psicologia do Trabalho e Organizacional) e estou terminando o mestrado nessa mesma área aqui no Brasil. A minha grande preocupação é exatamente essa: Emprego. Eu quero muito trabalhar e sou bem do tipo "o que vier morre". Se for da minha área, ótimo, se não for, ok também.
    Mas o principal motivo do meu receio é a aquisição do visto de trabalho. No caso, eu iria como dependente dele e acredito que isso me dá direito a uma modalidade de visto específica. Quando estivermos em Grenoble, é possível efetivar a mudança desse tipo de visto para um visto de trabalho? Esse processo é legal? Eu fico com medo de chegar aí e passar três ou quatro anos sem poder fazer nada por algum impedimento legal referente à imigração...
    Mas muito obrigada mesmo pelas suas postagens, moça. Além de maravilhosas elas são muito esclarecedoras.
    Abraços!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Natália! Que bacana que está com esta disposição pra arrumar trabalho, ajuda muito! Quanto ao visto, se seu namorado vem fazer doutorado, tem duas possibilidades: 1) visto estudante ou 2) visto scientifique. Vai depender do tipo de bolsa, eu acho. A maioria que vem com bolsa do Ciência sem Fronteiras é "estudante". A maioria com bolsa do governo francês é "scientifique". Mas deve ter outras variáveis, não sei, seu namorado tem que olhar qual será o dele... Se você vier como dependende de "scientifique", que é o meu caso, vai poder trabalhar numa boa. Se você vier como dependente de "estudante", não vai poder trabalhar. Se este último for seu caso, uma maneira de trabalhar seria você começar a estudar também, e mudar o seu visto pra estudante, o que te dá direito a trabalhar algumas horas por ano. Mas não sei se vale qualquer tipo de estudo, você tem que pesquisar. Sei que mestrado vale, então se você virar mestranda, pode trabalhar um número limitado de horas. Quanto a mudar pra um visto de trabalho, não é tão simples. Pra isso você precisa de uma oferta de trabalho de uma empresa. São muitos detalhes, então, se quiser saber mais, ou tiver alguma dúvida do que eu falei, me manda email que dá pra gente conversar melhor. Ah e é sempre bom você olhar no site do governo francês pra ter as informações atualizadas e não correr riscos. Abraço!

      Delete