Wednesday, January 18, 2017

Nem parece que ele tem autismo


"Nem parece que ele tem autismo". Já ouvi muito esta frase. Algumas pessoas olham o Dante e acham que ele é como uma criança típica. E eu as entendo. Explico, se eu for na sua casa com o Dante e deixar ele brincando na sala, você pode mesmo duvidar do diagnóstico dele. Talvez você estranhe o fato dele não falar, mas aí entra a questão dele conviver com duas linguas, pode atrasar a fala mesmo, etc. O fato é que se você não tiver algum conhecimento sobre o transtorno do espectro autista, você não vai sacar coisas importantes.

Não é fácil perceber dependendo das dificuldades ou idade da criança. Não é fácil porque as pessoas não têm muita informação sobre autismo (eu não sabia quase nada a respeito até o caso do Dante) e caem em clichês que podem ser confirmados ou não, depende da criança. Cada criança é uma, e isso vale para as crianças no espectro autista.

Então, vou listar aqui algumas coisas que foram consideradas para incluir o Dante no Transtorno do Espectro Autista. Algumas coisas que as pessoas não reparam que são muito importantes:

1) Não olhar no olho. 
   
Dante olhava pouquíssimo no nosso olho, quase nada. Desde o diagnóstico,com o início dos tratamentos, isso melhorou muito. Hoje ele olha muito mais, porém ainda tem dificuldade de fixar o olhar. E percebemos que se mantermos uma certa distância, o olhar vem com mais facilidade e tende a se prolongar mais do que quando estamos cara a cara com ele.

2) Não imitar.

A coisa mais comum entre crianças de 2 anos e meio é imitar os outros, não é mesmo? Com o Dante não. É uma dificuldade tremenda fazê-lo nos imitar. Estamos investindo muito nisso, pois imitando, as crianças aprendem muitas coisas, tipo... falar! A cada imitação do Dante, a gente faz uma festa.

3) Não seguir o olhar quando apontamos e não apontar com o dedo.

As pessoas às vezes não percebem, mas Dante não segue o olhar para onde apontamos e também não aponta. Quer dizer, agora ele está começando a seguir e a apontar, mas não é algo recorrente, apesar dele fazer bem mais agora que há 6 meses, por exemplo.



4) Não brincar com outras crianças.

Na idade do Dante, as crianças interagem umas com as outras. Vejo isso claramente na creche e com filhos de amigos meus. Dante prefere sempre brincar sozinho. Ele não se incomoda com a presença delas, mas prefere ficar na dele. Outro dia me contaram na creche que ele aceitou dar as mãos para brincar de roda, mas foi bem rápido. Bom, já é um progresso. :)

5) Raramente brinca com outros adultos.

Para criança ele não dá nenhuma bola, mas para os adultos âs vezes sim. Porém, ele não exatamente brinca, apesar de que um adulto que está com ele pode achar que está super brincando. Explico; ele sabe que os adultos fazem coisas que o ajudam nas brincadeiras, então ele os usa como instrumentos. Por exemplo, ele precisa que você balance a rede para ele, então vai te pedir. Só que pode ser você, ou eu, ou qualquer outra pessoa, ou um robô. E tem mais, se ele nao olha no seu olho, é como se você não existisse, é realmente te tratar como uma ferramenta para o que ele precisa.



6) Não entender jogo de faz de conta.

Dante não usa o imaginário para brincar. Ele não sabe fingir que está apostando uma corrida de carrinho, ou penteando o cabelo da boneca, ou brincando de animais que moram numa fazenda, etc. Isso é bem complexo para ele, mas a gente chega lá.

7) Não brincar de maneira convencional.

Às vezes Dante pega quatro carrinhos e começa a empilhá-los em vez de colocá-los para andar. Ou fica super interessado em sentir a textura de uma bola em vez de jogá-la. Ele brinca de forma convencional também, principalmente com quebra-cabeças e jogos de encaixe. mas volta e meia pensa fora da caixa. :D


Estes são alguns exemplos das dificuldades do nosso pequeno que às vezes passam batido para um leigo. Apesar delas, não posso deixar de dizer que Dante é incrível em outras áreas. A fonoaudióloga frequentemente o chama de "meu pequeno físico", "meu pequeno engenheiro", rs. Ele entende rapidamente a lógica de um jogo, ele aprendeu a separar as cores sozinho, ele é hiper obaservador, tem uma coordenação motora fina ótima, etc. E sempre me perguntam duas coisas: sobre crises nervosas e contato físico. Respondendo: Dante é super calmo, faz birra típica de criança de vez em quando, mas até isso é raro. E ele adora contato físico, não tem problema em ser tocado. ;)

Pessoal, este é o Dante. Se vocês conhecerem outra criança no espectro, pode ser super diferente. São todas diferentes. Por isso nao dá para dizer "nem parece que ele tem autimo", tem que conhecer mais para saber, né? ;)


9 comments:

  1. É incrível como algo "simples" que por vezes passaria desapercebido ao menos para mim, como por exemplo usar os adultos como ferramenta para ele brincar, quando estão em um conjunto tem uma importância e diferença enormes. Já vi muita, muita evolução no Dante, amo quando vejo ele demonstrando ciúmes do Fábio ao brincar com o Pedro, quando sorri e me olha ao fazer cócegas nele... E sei que cada passo a frente que ele dá é pq tem pais maravilhosos estimulando e ensinando ele. Nunca vou cansar de falar da minha admiração por vcs! Amo vcs três.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada, minha amiga. É ótimo ter você sempre por perto com este carinho todo. ❤❤

      Delete
  2. Esse é o Dante! Que a gente ama de montão do jeitinho que é 💞

    ReplyDelete
    Replies
    1. Puro amor pelo nosso pequeno. ❤ Ele vai sentir falta do seu colo carinhoso...

      Delete
  3. Não conheço, mas já gostei dá história do Dante. Mamãe, conta mais.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada! Pode deixar que vou contando mais aqui. ☺

      Delete
  4. This comment has been removed by the author.

    ReplyDelete
  5. Oi Nicole, tudo bem? Legal ver como as coisas vão evoluindo. Quando leio os seus post vejo que o amor pelo Dante está nas entrelinhas, isso é muito bonito. Acho que vocês tem sido bem sensatos em relação ao autismo, pelo menos é o que percebo.
    Estamos em Grenoble desde agosto. Esse mês descobrimos que estamos grávidos. Já li várias vezes os teus post sobre gravidez pra ir me preparando, hehehe.
    Enfim, sou psicóloga e apesar de não ter muita experiência sobre autismo me coloco à disposição se quiseres conversar, tomar um café, desabafar um pouquinho. Beijo no coração!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Caren! Parabéns pela gravidez! Qualquer dúvida a respeito de como funcionam as coisas aqui na França, estamos aí. Não sei tudo, mas tenho a experiência de 1 gravidez e várias amigas que tiveram bebê aqui. :) Vamos nos encontrar! Vai ser ótimo tomar um café juntas. Me manda email pra gente combinar nicolepatricia@gmail.com. Beijo!

      Delete